(Crítica) Mulher Maravilha – a heroína que salvou a DC

Mulher Maravilha – A DC ouviu os fãs?

Gal Gadot – a Mulher Maravilha que os fãs queriam ver

Ao que tudo indica, sim. Os apaixonados por filmes de heróis estavam preocupados com os rumos do filme após o resultado controverso de Batman VS Superman. O que se pode dizer da reação deles ao novo blockbuster da DC se resume em uma palavra: Surpresa.

Gal Gadot

A atriz parece bastante natural no papel da princesa Diana, a Mulher Maravilha. Quase como se tivessem sido feitas uma para a outra, ela soube incorporar bem a personalidade apresentada nos quadrinhos. Uma atuação bastante fluida.

Cenas de ação

De tirar o fôlego, às vezes. Intensas, bem coreografadas e funcionais. Claro que os efeitos de slow motion característicos de Zack Snyder estão presentes, apesar de ele não ser o diretor do longa. Diferentemente de Batman VS Superman, aqui o efeito valoriza as cenas e foi bem utilizado, criando alguns momentos enfáticos.

Mulher Maravilha surpreende na qualidade dos efeitos visuais que, aliados à trilha sonora, favorecem a imersão nos acontecimentos da trama.

Ainda sobre a trilha sonora, ela casa muito bem as cenas. É bastante intensa e resgata a sensação das antigas animações da DC. Perfeita para um filme de heróis.

Equilíbrio

Nem só de ação se faz um filme de heróis e esse longa conseguiu um bom equilíbrio entre os elementos. As cenas de ligação estão muito boas e conseguem estabelecer toda uma atmosfera que envolve a platéia. Mulher Maravilha possui uma certa densidade. Não espere ver piadinhas.

Mulher Maravilha e o olhar feminino

A diretora Patty Jenkins (de “Monster”) aplica uma visão interessante ao longa que acaba apresentando várias camadas de sentimentos no decorrer das cenas. Há um equilíbrio entre uma mulher descobrindo um mundo inteiramente novo e uma heroína em uma missão. Todos os sentimentos estão presentes, sem exageros.

As nuances são geralmente sutis, mas tudo contribui para a formação do caráter da personagem e da maneira como ela irá reagir aos eventos.

O surgimento da Mulher Maravilha

O filme consegue retratar bem a origem da personagem principal e demonstrar sua transição e transformação até tornar-se um guerreira poderosa sem tomar muito tempo. É o suficiente para contar a história e criar empatia.

Aliás, a narrativa cria empatia com todos os personagens, mesmo os secundários. A forma como cada um será afetado pelos acontecimentos fica bem clara. Vemos a Mulher Maravilha ser moldada e, junto com ela,

Nossa avaliação

Vale a pena assistir. Atribuímos nota 4 de 5 na avaliação. Alguns pontos poderiam ser melhor trabalhados, mas não chegam a prejudicar a qualidade e a experiência. De fato, uma agradável surpresa que acendeu no coração de muitos fãs a esperança de vermos mais filmes bons de heróis vindo por aí. Mulher Maravilha pode representar uma mudança na forma como o público recebe esse tipo de filme.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *